sábado, 9 de junho de 2012

MINISTÉRIO DO TURISMO - Diretor do Turismo é investigado por beneficiar entidade ligada a parentes


Apesar das denúncias e constatações o citado na matéria continua Diretor do MINISTÉRIO DO TURISMO. Perderam a vergonha totalmente.
Fábio Fabrini, de O Estado de S.Paulo


Ricardo Moesch aprovava contas e liberava verbas para o Instituto Marca Brasil (IMB), do qual sua mãe foi conselheira e sua mulher, advogada


BRASÍLIA - Com 21 convênios e termos de parceria firmados desde 2005, o Instituto Marca Brasil (IMB) tornou-se um dos campeões em pagamentos do Ministério do Turismo (MTur) enquanto um aliado de peso atuava a seu favor. Diretor do Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico (Deaot) da pasta, Ricardo Martini Moesch aprovava contas, autorizava contratos e liberava verbas para a entidade, que tinha a mãe dele em cargo de direção e sua mulher como advogada.

Uma sindicância aberta pelo Turismo concluiu que Moesch liberava as prestações de contas do IMB, mesmo sem documentos comprobatórios da execução regular dos convênios. Assim, a entidade ficava livre para receber recursos, parte deles usada para pagamentos à mulher do diretor, Letícia Affonso da Costa Levy, por serviços de advocacia. A comissão encarregada das apurações pediu a abertura de processo disciplinar contra ele, em curso na Controladoria-Geral da União (CGU), por uso do cargo para proveito pessoal ou de terceiros.
Conforme as investigações, a mãe do servidor, Norma Martini Moesch, tinha funções de direção e gerência no IMB como conselheira fiscal e, posteriormente, deliberativa.
A assinatura dela consta de atas da Assembleia Geral do instituto. Em ao menos duas dessas reuniões, o próprio diretor teria atuado como procurador da mãe, influenciando em decisões da entidade, aponta a sindicância.
Leia a matéria completa no ESTADÃO - CLIQUE AQUI