sábado, 17 de julho de 2010

CASAN

CASAN - Um caso sério

Muito tem se falado sobre a Ilha de Santa Catarina quanto a ocupação e a falta de água, fico com a falta de água. Sobre a CASAN pergunto o que fez o Sr. Walmor de Lucca no período em que está a frente da empresa para resolver definitavamente o problema?

A CASAN deve nortear o desenvolvimento da cidade ou deve suprir suas necessidades para que a Cidade se desenvola? Entendo que a Concessionária deve cumprir o contrato de concessão e assim possibilitar o crescimento e desenvolvimento da nossa Cidade!

A CASAN nestes anos criou uma Diretoria para a Região Metropolitana e quem foram seus ocupantes? Pode ser verificdado, nenhum técnico, apenas adrinhados políticos ou políticos. Com certeza não foram eleitos Diretores para resolver o problema da água e do esgoto e sim para ocupar espaços políticos à custa da eficiência e rentabilidade da empresa!

A CASAN distribui lucros entre Diretores e funcionários mas ao mesmo tempo alega que não tem recursos para investir.

A CASAN diz que a Prefeitura de Florianópolis não tem planejamento e usa da improvisação. Engano ou má fé, Florianópolis tem um plano Diretor que prevê a ocupação nos diversos bairros, parece que somente a CASAN não conhece.

O Presidente diz que tem sobre sua mesa 50 pedidos de ligação de água, certamente quase todos com viabilidade técnica, no entanto não os libera, porque? Uma questão, qual foi o critério para a Diretoria da CASAN liberar nos últimos anos as consultas de viabilidade, foi por ordem cronológica, técnica ou emergencial? O assunto merece uma atenção especial porque quem planeja não pode ser penalizado.

Com certeza se a concessão para Florianópolis fosse privada a situação não estaria perdurando e não teríamos um Presidente de uma estatal chorando pelos cantos porque não consegue resolver os problemas. Uma ligação de água, o negócio da empresa leva meses para ser executada, parece um favor. Isto lembra a época da telefonia estatal no Brasil. Para quem lembra era preciso um padrinho para conseguir uma linha, hoje para conseguir a liberação de uma consulta de viabilidade é preciso assistir uma palestra do Presidente, isso não existe em nenhum lugar.

É patético o que lemos nos jornais no último verão onde a Diretora Regional Sra. Adeliana, que com certeza não é do ramo, vir a público culpar o usuário pela falta de água, culpar a falta de manutenção de bombas pela falta de água. A medida que fosse uma empresa privada no mínimo alguém seria responsabilizado.

Parece que o boom turístico é resultado da crise internacional, parece que nunca recebemos turistas em anos anteriores.

Falemos sério, o problema está na Assembléia ou em uma velha amizade entre o Governador e o Sr. de Lucca ou nas duas hipóteses anteriores?